quarta-feira, abril 19, 2006

O fenómeno "Blog"

A última sondagem feita na comunidade, descortinou um número bastante redondo: quase um milhão de utilizadores no ciberespaço nacional. Bem, esse número tem de ter algum significado.

O que afinal sustenta os blogues?

Em primeiro lugar a facilidade: qualquer pessoa com acesso à internet e algum tempo livro pode construir um. Apesar da acessibilidade, isso não garante visitas...

A questão é mais demorada, focada em conteúdos e numa estranha evolução. Os blogues estão a tornar-se no jornalismo da era digital, segundo certos analistas. Existem blogues que são autênticas "cartas postais", ou até folhas noticiarias. A informação é partilhada velozmente e por vezes com um rigor e profissionalismo que tem vindo a desaparecer dos media tradicionais, mais apegados à manipulação emotiva do que à própria circulação de informação. Basta recordar que foram "bloggers" os primeiros a passar as notícias dos tsunamis asiáticos, no ano passado.

Claro, que aí estamos a falar de blogues cuidados, já com um nicho e com uma equipa dedicada e profissional. Como tudo, os blogues são uma poderosa máquina de (des)informação. Muitas vezes os blogues não são plataformas de comunicação e divulgação, mas sim "pequenos e públicos cantinhos privados", reservatório de pensamentos ou valores. Podem ser minas culturais ou de "rabiscos emotivos".

Mais uma vez, diversidade causada pela facilidade de criação.

Apesar desta visão mais radiante, eu não sou cego. Sei bem que existe o lado "negro" dos blogues - ou lados doutras cores, como o "rosa" -. Infelizmente, esse milhão de visitante deve ser engrossado pelos blogues mais visitados, o que pode parecer óbvio e ser estaticamente esperado. Infelizmente, quando alguém faz uma pesquisa do top de blogues normalmente dois resultados predominam...

Pornografia e séries "infanto-juvenis" (Morangos com Açúcar, por exemplo).

Dá que pensar. Como tudo, os blogues são mais uma ferramenta.
Só pode ser julgada pelo uso que lhe é atribuído.

4 Comments:

Blogger Enlightened by darkness said...

Existem blogs muito bons e blogs muito maus. Blogs que não nos despertam interesse e blogs interessantes. Blogs informativos e blogs desinformativos.

É como tudo na vida.

quarta-feira, abril 19, 2006  
Blogger Karma Beavis said...

muitos blogs mas ng vai ao meu! Sniff

quarta-feira, abril 19, 2006  
Blogger silent_dark said...

Um outro problema relacionado com os blogs é o lixo cibernético que têm causado, à medida que, efemeramente, na pressa da febre de aos amigos revelar uma página pessoal, são criados, para, pouco depois, passado o furor inicial, se desmembrarem. Não sei quantos de vós já não tiveram a experiência de, ao quererm registar um blog, não o poderem fazer com o nome que tinham pensado porque já alguém o registou antes, um alguém que se limitou a postar uma vez somente, há talvez mais de uma nao atrás. Esta situação já ocorreu comigo pelo menos duas vezes.
Queria só salientar que não há blogs só informativos e desinformativos. Os tais "rabiscos emotivos" só são desinformativos no sentido que não informam, não no de que desinformam, isto é, que veiculam informações erradas. E um blog desta natureza mais pessoal e psicológico não tem de ser necessariamente mau - ainda que, em muitos casos, o que se tem é um desfilar desinteressante das penas e sofrimentos pessoais de um indivíduo. Mas, quando feito com mestria e arte, um blog assim até pode vingar. Mais uma vez, é como bem colocas as coisas, uma questão de qualidade.
Esperemos que este blog se distinga por isso - como estou certo que sim.

sexta-feira, abril 21, 2006  
Anonymous Bruno said...

Tens razão em parte do que escreves, mas quando te referes aos tops, estás um pouco errado.

Os blogs mais visitados do pais, e até tem gerado alguma discussão na blogosfera, são neste momento o ABRUPTO do Pacheco Pereira, que encontrou na net a fonte ideal para espalhar as suas ideias tão peculiares, e o Há Vida em Markl, de Nuno Markl.

Ambos são blogs que provocam um enorme numero de clones, e são as fontes para a imaginação de muita gente. No entanto há uns dias Pacheco Pereira definiu muito bem o que deve ser um tal "blogger". Passo a citar:

REGRAS PRÓPRIAS

Ler a blogosfera como leitor e não como autor de blogues.

Escrever num blogue sem ser para ser lido apenas pelos autores dos blogues.

Toda a atenção para fora, sempre para fora, para a furiosa veemência do mundo.

Toda a atenção para fora, sempre para fora, para os silêncios que (nos) falam.

Toda a atenção para fora, sempre para fora.

Não ser distraído.

Estar atento.

Continuar.


00:00 (JPP)


E uma coisa é certa, o surgimento da internet e a facilidade de criação de blogs, foi das invenções que mais contribui para a liberdade de expressão até hoje. Se isso traz muito lixo atrás, é normal. Se todos são livres de falar, muitos inevitavelmente só irão dizer merda.

segunda-feira, maio 08, 2006  

Enviar um comentário

<< Home