sexta-feira, março 31, 2006

Em memória de Stanislaw Lem (1921-2006)

Morreu no passado dia 27 Stanislaw Lem, médico e escritor polaco. Entre as suas obras, incluem-se Solaris, Astronautas, Ciberiada, e Eden, entre dezenas de outros. Um autor de ficção científica inovador, muito mais dedicado ao tratamento dos sentimentos e emoções humanas do que aos aspectos mais "clássicos" do género. Vencedor de diversos prémios, incluindo um Kafka, o talento de Lem conseguiu-lhe o lugar de membro honorário da Science Ficiton Writers of America (SFWA) em 1973. Contudo, a personalidade dura mas sincera de Lem, e as suas críticas severas à ficção científica americana, a qual considerava uma amálgama amorfa de clichés e geralmente mal escrita, resultaram na sua expulsão.

Numa nota de despedida, fica aqui um dos seus poemas favoritos, a essência de Solaris.

And Death Shall Have No Dominion
by: Dylan Thomas

And death shall have no dominion.
Dead men naked they shall be one
With the man in the wind and the
west moon;
When their bones are picked clean and the clean bones gone,
They shall have stars at elbow and foot;
Though they go mad they shall be sane,
Though they sink through the sea they shall rise again;
Though lovers be lost love shall not;
And death shall have no dominion.

And death shall have no dominion.
Under the windings of the sea
They lying long shall not die windily;
Twisting on racks when sinews give way,
Strapped to a wheel, yet they shall not break;
Faith in their hands shall snap in two,
And the unicorn evils run them through ;
Split all ends up they shan't crack;
And death shall have no dominion.

And death shall have no dominion.
No more may gulls cry at their ears
Or waves break loud on the seashores;
Where blew a flower may a flower no more
Lift its head to the blows of the rain;
Though they be mad and dead as nails,
Heads of the characters hammer through daisies;
Break in the sun till the sun breaks down,
And death shall have no dominion.

3 Comments:

Blogger Enlightened by darkness said...

Grande poema e grande Lem. Requiescat in pace.

sexta-feira, março 31, 2006  
Blogger Lord of Erewhon said...

Um grande senhor! Houve um tempo em que os americanos até pensaram que o escritor seria um super-computador inventado a leste... e que LEM seria uma ironia soviética: Lunar Excursion Module!

Falta referir, como é óbvio, toda uma obra: mas acrescentaria «O Invencível», novela assombrosa!

Gostei deste blog.

sexta-feira, abril 14, 2006  
Blogger Lord of Erewhon said...

De Dylan... nada há para dizer: um génio absoluto e um dos inventores da modernidade poética!

sexta-feira, abril 14, 2006  

Enviar um comentário

<< Home